1º Semana – Introdução

brigid1

“Brigid, mulher excelente, chama espontânea dourada e flamejante, brilho do sol radiante, conduza-nos para o reino divino”.
Do hino irlandês Brigid be Bithmaith

“Fogo da Forja que molda e tempera,
Fogo da mente que ínsita e inspira,
Fogo das mãos que transforma e cura”
Lema da ordem de Brighid

Brighit – também grafada por Brighid, Brigid ou Brigit, seu nome tem várias traduções entre elas:
A Brilhante; Flecha flamejante, Flecha Brilhante, Elevada ou a que está elevada (brig- significa de “elevação”, “altura”, “altivez” e “poder”).

Qualquer que for a tradução, é certo que Brigid é a senhora dos três fogos da Irlanda, Filha do Dagda, o Bom Deus, é uma das mais importantes Deusas da Irlanda – Sendo também sua Padroeira, foi e é amplamente cultuada dentro e fora da Ilha Esmeralda, sendo por isso considerada uma Deusa Pan-Celtica, ou seja cultuada por praticamente todas as tribos celtas.

Brighid como todos os Deuses Celtas tem diversos aspectos e atributos, Deusa do fogo, das fontes curativas, da própria cura, dos poetas e todos ligados de alguma forma a arte, da metalurgia, da pecuária, da fermentação, das parturientes, do lar e da família .
Provavelmente a mais cultuada em todas as classes sociais dentro das tribos celtas, é a Deusa de todos, dos agricultores e camponeses a nobreza, dos e guerreiros a classe sacerdotal.

Como que mantendo a tradição celta do três, Brighid é representada como 3 mulheres:

Brigid Ferreira, – Forja
Brigid Poetisa – Inspiração
Brigid Médica – Cura

B2_arch

Brighid é tão importante e tão adorada na Irlanda que mesmo com o advento do cristianismo, seu culto não enfraqueceu, sem saída mediante a força da Deidade os cristãos apresentam ao povo da Irlanda, sua própria versão de Brighid – Brígida uma mulher, abnegada, desprendida, que alimenta e acalenta o próximo sem pensar em si – De fato é tão santa que na visão católica é a madrinha de cristo (e aqui pode-se supor, que o fizeram devido ao costume arraigado entre as tribos,de os filhos serem criados por outros que não seus pais genitivos, assim e os pais adotivos – Os padrinhos e madrinhas de hoje – eram tão ou mais importantes na vida da criança – mantendo assim um firme laço entre as famílias, o que promovia a união e força dos Clãs).

Muitas das lendas de Santa Brígida são compilações dos mitos da Deusa, uma prova disso é o local de seu convento na Irlanda – Kildare ou Cill Duir “Templo do Carvalho – Interessante que uma Santa católica se estabeleça, justamente num lugar sabidamente importante a espiritualidade anterior, outro fato que me faz ter esta opinião é o fato das freiras do convento de Kildare escolhiam entre si 9 moças que cuidariam de uma chama perpétua – ao 10º dia a nona freira deixava a lenha próximo a lareira pois era o dia de Santa Brigída cuidar do fogo – Ao meu ver uma clara reinterpretação da ligação da Deusa com o fogo.

brigid

Por enquanto é isso, e é o mínimo do que se pode dizer dessa Deusa, Mulher, Santa, vou parar por aqui, nas próximas semanas muito mais a ser contado, explorado, conhecido e amado, desta que para mim e para minha vida trouxe equilíbrio e cura.
Encerro esta apresentação com a linhagem e a benção de Brigid.

Bom Lá Fheile Bríde (Imbolc), a todos!

Brigit, filha de Dannu e do Dagda, filha de Dugal o Marrom, Filho de Aodh, Filho de Art, FIlho de Conn, Filho de Chiara, filho de Cairbre, filho de Cas, Filho de Cormac, Filho de Cartach, Filho de Conn.

Brigit do manto,
Brigit da pilha de turfa para a lareira
Brigit dos cabelos trançados,
Brigit do Augúrio.
Brigit dos pés alvos,
Brigit da metalurgia
Brigit das alvas palmas
Brigit da Poesia.

A cada dia e noite que recito a linhagem de Brigit,
Não serei morto, não serei ferido, não serei aprisionado, não serei despedaçado.
Nenhum sol me queimará,
nenhum fogo me queimará,
nenhum raio me queimará,
nenhuma Lua me queimará.
Nenhum rio me afogará,
nenhum mar me afogará,
nenhuma enchente me afogará,
nenhuma água me afogará.
Sonho negro não cairá sobre mim,
Sono encantado não cairá sobre mim,
Sorveira não cairá sobre mim;

Este é o dia de Brigit, e a Rainha virá do Monte.
Eu não tocarei a Rainha, nem a Rainha me tocará.
No dia da Festa de Brigit, a filha de leabhrach virá do Outeiro.
Não tocarei a filha de leabhrach, nem ela me prejudicará.
Hoje é o Dia de Brigit: a Serpente surgirá da toca.
Eu não molestarei a Serpente, nem a Serpente me molestará.

Anúncios
Esse post foi publicado em 30 Semanas para Brighid e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para 1º Semana – Introdução

  1. Jully Basilio disse:

    Muito lindo Juju! Adorei!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s