Dia 02 – Cosmogonia

discworld

Cosmogonia – “Corpo de doutrinas, princípios (religiosos, míticos ou científicos)que se ocupa em explicar a origem, o princípio do universo; cosmogênese

 

É difícil começar este tema principalmente porque não há um texto, história ou lenda celta que nos mostre, seu princípio. E talvez esta ausência seja o próprio princípio, a de que nós somos livres para crer, como quisermos, como foi o início de tudo.

Particularmente acredito em muitas coisas diferentes e todas elas tem espaço para serem reais.

  • Acredito num ovo cósmico.
  • Acredito que o mundo possa ser criado a base do Corpo de um Vanir,
  • Acredito que os mundos se originem de atritos de pó estelar.
  • Acredito que uma  tartaruga gigante está levando o Universo sustentado por 4 elefantes.
  • Acredito na sopa de OPARIM ( Hipotese levantada pelo cientista russo Alekssander Oparin, sobre os elementos existentes na atmosfera que geraram nosso universo, como uma sopa de elementos)
  • Que dragões chocam ovos e eles viram galáxias.

E Teoria minha: Acredito que algum Tataravô dos Deuses estivesse absolutamente entediado e resolveu a partir de poeira estelar (que só saberíamos disso Zilhões de Aéons a frente) e um pouco de sua barba, montar um instrumento qualquer e tocar as cordas, transformando o barulho em música, e ficou tão feliz da monotonia quebrada, que juntou sua voz , fez uma canção e saiu sacudindo e dançando, criando o mundo.

Balançou tanto que se dividiu em vários outros Tataravôs e Avós de Deuses. Juntou todos, os ensinou a fazer instrumentos e música, e fizeram uma festança, o resultado da “ressaca” cósmica, fomos nós, nossos Deuses e mundos.

E sendo assim, com a música como base de tudo acredito no que os celtas chamam de Oran Mör, a grande canção (Qualquer semelhança com a canção dos Anuir, da obra Silmarilion do Tolkien, NÃO é mera conincidencia, o Professor sabia da fonte que bebia)

Agora Brincadeiras e nerdices a Parte.

Acredito em tudo isso, pois acredito sobre tudo, que nossas crenças moldam o mundo, de acordo com o que vivemos nossas experiências e bagagens.

Lembro de uma conversa, anos atrás, num sarau cientifico onde levantou-se uma questão: Os Deuses SÃO ou ESTÃO em tudo? Se estão? Porque estamos aqui? Se são tudo, a mesma questão, por que estamos aqui? E depois de muito vinho, risadas e elucubrações, se chegou a isso:Não importa. É indiferente se estão ou são tudo, nós somos e estamos com eles, assim eles experiênciam o SER humano através de nós, e Nós o SER  Deuses, mesmo que não nos apercebamos disso.

Nós somos e estamos no mundo, desde sua criação de forma consciente ou não, e desde o momento em que tudo foi criado temos, somos e estamos como parte no grande processo.Pois o mundo, o universo não estão engessados, continuam se expandindo, se modificando, nascendo e morrendo conforme o pensamento das infinitas vidas que os habitam, ou dos Deuses que nos sonham, pois creio que tudo esta em constante mutação,dentro da Teoria do efeito borboleta, o simples bater de asas pode causar um tufão.

O que se dirá de nossas atitudes perante a vida, ao planeta e a nós mesmo.

Por isso não acredito em UMA UNICA cosmogonia ou cosmologia, e sim num crescer constante, numa mudança eterna, profunda e em novos mundos criados a cada segundo, mesmo que este seja nanoscópico e esteja dentro de nós.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em 30 Dias Druídicos, Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s